Crônicas & Reflexões

O SAP - Serviço de Alto-Falantes de Pesqueira funcionava como uma rádio sem ondas hertzianas. Foi inaugurado no dia 19 de março de 1946, portanto, completou 70 anos em 2016. Em dezembro de 1959 encerrou suas atividades, porém, em março de 2004, o quarteto formado por Laurene Martins, Evandro Henrique, João Ramalho e Enilson Flávio, o trouxe de volta.

Em setembro de 2009, esse Serviço de Alto-Falantes foi substituído pelo Sistema On-Line, via Internet, no endereço www.sappesqueira.com.br, deixando de ser um meio de comunicação de audiência localizada, para alcançar o mundo, por isso, não há mais distância que separe os ouvintes, do SAP.

Apesar dessa significativa mudança, permaneceu a sigla “SAP”, por causa da tradição.

Graças a esse avanço, o SAP já transmitiu para o mundo, em tempo real, sons e imagens, do nosso Carnaval, do Baile Municipal e da Festa dos ex-alunos, através da sua Rádio e TV Web, com exclusividade.

Do antigo SAP, fizeram parte: Dr. Aluízio Castro como colaborador, os locutores Manoel Leite, Ivan Siqueira, Walter Jatobá, Edson Trevas, Romeu Botto, Paulo Diniz e os irmãos Martins: Laurene, Lourival, Libério e Lenildo, além dos cronistas Luiz Neves, Albérico Soares, Jarival Cordeiro, Djanira Silva e Rinaldo Jatobá.

Para uma época em que só havia o telégrafo privativo da Rede Ferroviária em Pesqueira, como meio de comunicação, a instalação do Serviço de Alto-Falantes do SAP representou um grande avanço, fazendo a alegria e a diversão de muita gente.

A história, tradição, pioneirismo e a locução septuagenária de Laurene Martins, fazem da Rádio do SAP, a mais legítima voz de Pesqueira.

Atualmente, temos um SAP renovado, graças ao empenho, a dedicação e a força transformadora da atual equipe, composta por Laurene Martins, João Ramalho, Antônio Souza, José Carlos Morcourt, Valdson Castro e Aécio Flávio Galindo, que implantou e mantém o sistema do SAP na tela mundial.

O reconhecimento e a distinção dos apoiadores, ouvintes e internautas, têm sido fundamental para o SAP.

Vinte e cinco de março de 2016, é quando completa cinco anos que Evandro se foi, aos 59 anos de idade, nos deixando eternas saudades. Cinco anos já se passaram, mas parecem cinco dias para nós. É pouco tempo para diminuir tamanha saudade e preencher o vazio que ele nos deixou e que jamais será preenchido. Evandro estará sempre presente na nossa memória e na nossa história.

Dedicaremos esse dia, para relembrarmos os bons momentos, que compartilhamos juntos, principalmente, em datas especiais, quando a sua presença foi tão importante e alegre.

Lembraremos sempre de Evandro, pelo seu profissionalismo, honestidade, lealdade, inteligência, competência e sensibilidade para lidar com as adversidades e conflitos humanos.

A sua ausência foi capaz de fortalecer os nossos laços de união, para superarmos todas as incertezas e dificuldades no cumprimento do seu desejo de continuidade do SAP.

A morte inesperada, não lhe deu o direito de se defender, e sua partida foi prematura, porque ele tinha muitos sonhos e projetos ainda a realizar.

Ficamos tristes quando pensamos nele, mas a satisfação de mantermos o SAP ativo, nos ajuda a suportar essa grande perda.

Agora, tudo que nos resta são as memórias, imagens, objetos e músicas, que nos fazem lembrá-lo e reacender o sentimento de amizade. 

Todas as suas lembranças continuam vivas e presentes no nosso dia-a-dia, e nunca irão desaparecer.

Enquanto ele está ao lado de Deus, cumprindo uma nova missão,

nós o temos, eternamente, no nosso coração.

Valeu, Magro!

19 de março de 2016 é a data em que o SAP completa doze anos do seu retorno. Somando-se aos treze anos (1946 a 1959), são 25 anos de existência.

Laurene Martins, Evandro Henrique, João Ramalho e Enilson Flávio, formaram o quarteto que se mobilizou, para viabilizar a volta do antigo SAP–Serviços de Alto-Falantes de Pesqueira, que foi o primeiro meio de comunicação da cidade de Pesqueira.

Renascendo em um mundo cheio de tecnologia, agora a Rádio do SAP funciona pela Internet, cujo endereço é www.sappesqueira.com.br, deixando de ser um meio de comunicação de audiência localizada por meio de alto-falantes, para alcançar o mundo através dos computadores, celulares, I-phones, tabletes, etc. Apesar disso, mantivemos a mesma sigla “SAP”, por causa da tradição. Portanto, não há mais distância que separe os ouvintes do SAP.

Vários nomes de destaques fizeram parte do antigo SAP, como: Dr. Aluízio da Silva Castro, os locutores, Manoel Leite, Ivan Siqueira Campos, Walter Jatobá, Edson Trevas, Romeu Botto, os irmãos Laurene, Lourival, Libério e Lenildo Martins, Paulo Diniz, além dos colaboradores dos programas como Albérico Soares, Djanira Silva, Luiz neves, Jarival Cordeiro e Rinaldo Jatobá, que escreviam as crônicas.

Um dos objetivos hoje do SAP é de se articular com a comunidade local e promover seus

Através de sua Rádio e TV Web, o SAP foi o primeiro e único meio de comunicação a transmitir de Pesqueira para o mundo, sons e imagens, ao vivo, do nosso Carnaval, do Baile Municipal e da Festa dos ex-alunos, promovendo de modo telúrico, os valores artísticos e culturais.

A Rádio do SAP é considerada por muitos como a mais legítima voz de Pesqueira, pelo seu pioneirismo e pelo privilégio de ainda poder contar com a locução septuagenária de Laurene Martins, que é um ícone e pioneiro da comunicação em Pesqueira, considerado um patrimônio vivo dessa cidade.

O trabalho no SAP é realizado de modo voluntário, por um grupo de pessoas, sem pretensões financeiras lucrativas e nem políticas, que se dedica com amor, esforço e boa vontade, superarando muitas dificuldades, para a realização desse trabalho sócio cultural, que divulga a cidade de Pesqueira por todo o mundo.

O SAP tem uma identidade muito forte com Pesqueira, por tudo o que representou no passado e representa ainda hoje.

Atualmente, temos um SAP renovado graças ao empenho, à dedicação e a força transformadora da atual equipe, que mantém o seu rumo implantado, procurando sempre avançar.

Nesses 12 anos, o SAP fez mudanças importantes, produzindo resultados positivos.

Agradecemos, portanto, aos os nossos apoiadores, a todos os ouvintes e internautas, pelo reconhecimento dado ao SAP e pela distinção que nos faz sentirmos felizes e gratificados com o nosso trabalho.

Chegamos até aqui, porque aprendemos que a verdadeira transformação é feita unindo esforços.

Atualmente, Aécio Galindo, João Ramalho, Laurene Martins e Valdson Castro, vêm mantendo o SAP em atividade, sempre na esperança de que outras gerações continuem com esse trabalho.

No dia 27 de setembro de 2009, foi inaugurado o site do SAP.

Esta tradicional instituição voltada à cultura e à memória da cidade de Pesqueira-PE, inspirou todos os segmentos da comunicaçãolocal.

A Rádio-Web do SAP superou quase todas as expectativas, tornando-se uma das Rádios mais importantes da categoria.        

Com uma programação radiofônica moderna e dinâmica, a Web-Rádio do SAP, setor mais ativo dessa Fundação, apresenta músicas de boa qualidade, presta informações e promove integrações entre pessoas, anulando distâncias, tocando sentimentose preservando parte da memória pesqueirense.

Com esforço e desprendimento, seus atuais membros não medem esforços para manter ativo esse serviço voluntário e de cunho social, contando ainda com a ajuda de colaboradores.

A Rádio-Web do SAP funciona 24h e conta com programas, ao vivo, sempre das 20 às 22h.

Parabéns aos dirigentes do SAP, aos teleouvintes internautase a todos os colaboradores que direta ou indiretamenteajudam a manter essa antiga instituição, que agora comemora mais um ano de atividades na Internet, com uma história que orgulha e dignifica essa cidade.

Laurene Martins, jornalista, locutor, radialista e pioneiro na comunicação da cidade de Pesqueira-PE, é também, uma das últimas reservas culturais dessa cidade.

Nasceu na cidade de Pesqueira, na Rua Barão de Vila Bela, no dia 24 de março de 1929, filho de Almerindo Martins de Oliveira, natural de Vitória de Stº Antão-PE e de Áurea Sena Oliveira, natural de Bezerros-PE, irmão de Lourival (um dos fundadores do SAP), Libério (Aviador), Leonice, Lenildo (Ator) e Leani, viúvo de Gilka de Magalhães Martins, natural de Afogados da Ingazeira-PE, com quem teve três filhos e três netas.

Vinte e um (21) de setembro de 2015, é o dia em que Laurene completa 70 anos de atividades na comunicação em Pesqueira, como o radialista mais antigo desse município.

Com a sua grande visão e ousadia, revolucionou a comunicação em Pesqueira, fomentando com seu estilo inconfundível, o ambiente comunicacional dessa cidade.

Em 1944, com apenas 15 anos de idade, iniciou na radiofonia da PQR-Rádio de Pesqueira, que foi o primeiro serviço de alto-falantes local, findado em 15 de Dezembro de 1945.

Em 1946, no dia 19 de março, foi inaugurado o SAP-Serviços de Alto-falantes de Pesqueira, onde Laurene foi um dos fundadores e locutor.

Em 1951, no dia 15 de novembro, com a inauguração da Rádio Difusora de Pesqueira, foi dele a primeira voz a ser transmitida e também, o primeiro discotecário. Depois, passou a apresentar os programas “A Turma da Velha Guarda” e Meu Louro, Dá Cá o Pé”.

Em 1989, no dia 28 de janeiro, entrou para a Rádio Pesqueira FM, como o primeiro locutor, onde permaneceu até o dia 28 de julho de 1992.

Em 2004, no dia 19 de março, como um verdadeiro desbravador da comunicação em Pesqueira, ajudou a trazer de volta os Serviços de Alto-falantes de Pesqueira-SAP, ao lado de Evandro Henrique Wanderley.

Em 2009, no dia 27 de setembro, o seu espírito pioneiro se fez presente, dessa vez, para inaugurar a Web-Rádio da Fundação Cultural-SAP, onde apresenta o programa dominical “Vitrines”, das 20 às 22h, nos moldes da antiga Difusora, sendo também, o primeiro presidente dessa Fundação e, atualmente, o Presidente de Honra.

Considerado um ícone da comunicação em Pesqueira, é também, reconhecido pela sua extraordinária memória e por grande conhecimento sobre a história dessa cidade e do seu povo, sempre ajudando com a sua simplicidade, a fazer a história da Radiofonia e do jornalismo pesqueirense.

Nos anos 50, esteve sob o seu comando na locução do SAP, um menino pobre de 14 anos, que muito prosperou, chegando à locução da Rádio Globo do Rio de Janeiro, para depois tornar-se o famoso cantor e compositor Paulo Diniz, graças à primeira oportunidade, que lhe foi dada por Laurene.

Presença inconfundível nos veículos de Comunicação em Pesqueira, Laurene é testemunha ocular dos principais fatos ocorridos nas últimas décadas em Pesqueira, tendo o privilégio de vivenciar e participar da chamada “Época de Ouro do Rádio”.

Com o poder dos meios de comunicação, ajudou a desbravar Pesqueira de norte a sul e de leste a oeste, integrando as regiões, disseminando uma nova linguagem, levando aos lares cultura, educação, lazer e o mundo para mais perto das pessoas.

Para esse ilustre pesqueirense, as atividades nos meios de comunicação deveriam se caracterizar pelos compromissos com a cidadania, a ética, a consciência cívica e o combate às desigualdades sociais, antes mesmo de se voltarem para o sucesso dos negócios.

A história desse comunicador se confunde com a própria história do rádio Pesqueirense, portanto, é impossível falarmos sobre a antiga Rádio Difusora de Pesqueira e o SAP, sem evocar a grande figura de Laurene Martins e vice-versa, tamanha é a simbiose.

Ao longo de todos esses anos, ele realizou diversos programas de Rádios, apresentações, entrevistas e 2.058 comícios políticos, sendo o primeiro no Distrito de Mutuca, no dia 04 de novembro de 1945.

O Rádio sempre foi a sua verdadeira paixão, ideal, sonho e a sua própria razão de viver.

Hoje, aos 86 anos de idade e 70 de locução, Laurene continua a sonhar, movido pela nobre ideia de servir à comunidade pesqueirense, através da Web-Rádio do SAP.

Atualmente, Laurene é um dos colunistas do Jornal “Pesqueira Notícias”.

Uma grande homenagem estaria à altura desse homem que, além de tudo, proporcionou melhores dias a milhares de pesqueirenses, através dos meios e serviços de comunicação dessa cidade, onde dedicou toda a sua vida profissional.

Ao Jornalista e Radialista Laurene Martins, parabéns pelo seu legado.

Ao lutador, palmas pela vitória obtida;

Ao sonhador, palmas pelo ideal colimado;

Ao viandante, palmas pelo caminho percorrido;

Ao operário, palmas pela jornada conquistada.

 

É chegada a hora do reconhecimento, pela sociedade pesqueirense.

Página 1 de 9


Subir