VAMOS FESTEJAR O SÃO JOÃO?

Criado: Sexta, 04 June 2010

Confesso que na qualidade de pesqueirense, ao notar a ausência de Pesqueira no caderno de turismo do Jornal do Commercio que circulou nessa quinta-feira (03/06), senti um misto de frustração e revolta.

Tinha toda a certeza do mundo de que o nosso município estaria figurando entre os principais focos de animação dos festejos juninos que se aproximam. Quanta ingenuidade a minha!

Não concordo que um governante exagere no gasto com verbas, seja do município, Estado ou da União, com festas, pois como sabemos, temos carências crônicas em todos os setores de serviços essenciais. Existem outras prioridades. Não acho racional que se façam festas de arromba com gastos exorbitantes à custa do contribuinte.

Funcionários não recebem em dia. Aos professores, é negado o piso salarial estabelecido por lei. Os cidadãos penam nas filas dos postos de saúde e hospitais públicos, à espera de atendimento. Estamos exagerando?

Pra comprovar o que afirmamos, basta percorrer alguns municípios do nosso Estado, e até de outros da Federação.

Mas, convenhamos, o São João, uma festa tradicional, que motiva o turismo, gera renda, movimenta a economia e além de tudo, permite o reencontro de familiares nas cidades interioranas, não pode sob hipótese nenhuma, ser riscada do nosso calendário ou ser feita à base da improvisação, fato também verificado com o carnaval.

No caso de Pesqueira, é simplesmente inadmissível que até esta data, a Secretaria Municipal de Turismo não tenha conseguido planejar por mais simples que seja, qualquer espécie de festejo junino para o nossa população.

Dizer que já tivemos uma das melhores festas juninas do interior é recorrente e desnecessário. Mais uma vez insistimos que há muito deixamos de ser destaque em quase tudo o que fazemos. O complexo de inferioridade já nos persegue há anos.

Temos recebido mensagens pela internet de pessoas que indagam sobre o nosso São João e nada temos a responder. Acredito que muitas já mudaram de idéia e vão procurar distração em outras cidades.

AH! QUE SAUDADE QUE EU SINTO! O resto da canção, todos sabem de cor.